6 de mar de 2011

A alimentação crua viva rodando o mundo

Por Ursula Jahara * 23.02.2011

Companheiros de jornada,

compartilho com vocês a experiência de hoje.


Eu e um grupo de amigos voltados para a alimentação crua viva fomos convidados pelo site RawWorld.com (baseado nos Estados Unidos) para dar entrevista - filmada - aqui no Rio de Janeiro, sobre nossas experiências dentro desse tema no qual estamos envolvidos.  Os entrevistados foram: Eu (MisturaViva), Leigh Hopkins (Viva Institute), Helena Baronheid (Viva Institute), Tiana Rodrigues (Universo Organico), Inês Braconnot (Chef Krud), Eduardo Corassa (Saúde Frugal) e Malu Paes Leme (Alimentação Inteligente).

Apesar de conhecer cada um dos entrevistados, não sei exatamente o que cada um compartilhou.  A entrevista durou em torno de 1:30h, onde tive a oportunidade de repassar um pouco - realmente pouco dentro do muito que eu gostaria de repassar - da minha experiência dentro desse estilo de vida que a cada dia faz mais sentido, apesar de não me alimentar 100% assim.  Deixei claro durante as perguntas, minha vivência crudívora enquanto morei na Califórnia e meu envolvimento com a comunidade crudívora ao retornar ao Rio de Janeiro no inicio de 2009 até o presente momento.

Falei também da importância de levarmos esse estilo de vida de uma forma leve, entendendo a normalidade dentro dessa escolha, mas sabendo sair dela quando necessário - dependendo da ocasião que nos encontramos.

Mencionei que, para mim, o grande foco nessa caminhada que seguirá comigo até meus últimos dias, é entender a importância de estarmos trocando o alimento desnutrido, desvitalizado, desmineralizado, industrializado, artificializado, caramelizado, açúcarado, falsificado, super cozidos, por alimentos do reino vegetal e in natura - utilizando ferramentas simples, de certa forma, para que nossos pratos se tornem cada vez mais pacíficos - com o meio externo e interno. 

Mencionei a grande árvore que a alimentação crua viva, ao redor do mundo, está se tornando, e como uma grande árvore, suas diversas ramificações - galhos e raízes por mais conectadas ao tronco, seguem direções diversas.  Assim vejo como essa questão sobre alimentos crus vivos vem tomando corpo no mundo inteiro - direções variadas, e com tantas informações que muitas vezes se contradizem.  Por isso digo, novamente, que o importante é entender e aplicar a modificação de uma alimentação DESvitalizada para uma alimentação REvitalizada - esse é o ponto chave, depois que esse caminho for conquistado, cada um segue um tipo de galho ou raíz que achar que se 'enquadra' mais ao seu estilo de vida, momento, ou até mesmo por paladar ou visual. 

Sigo meu olfato, meu paladar, minha percepção, compreensão do real.  Tenho me alimentado de primariamente frutas, seguindo de hortaliças, legumes, sementes, castanhas e nozes (oleaginosas em menor quantidade).

Espero que a caminhada de cada um dentro dessa vasta e deliciosa escolha vital, seja uma caminhada prazerosa – com muitas cores, sabores, texturas, formas, cheiros e tamanhos diversos.  Uma caminhada que nos conecta ao alimento além de suas calorias e propriedades nutricionais; afinal, cada alimento do reino vegetal nos conecta com nossos diversos sentidos, e que assim seja!

Um brinde a vida!

Saúde!

0 Comentarios:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...