24 de out de 2004

Intoxicações Alimentares - Quando o corpo 'grita'

Fortaleza, Ceará - Sábado 26 de maio de 2001

Intoxicações decorrentes do consumo de comidas lixo
Os prognósticos indicam que o perfil do homem, em um futuro não tão distante, será de um ser baixinho, careca, sem dentes e barrigudo.

Festas são extremamente saudáveis, promovendo momentos de alegria e descontração. No entanto, nem sempre os participantes do encontro se sentem tão felizes, no dia seguinte. Os excessos na alimentação e no álcool costumam deixar muita gente literalmente ‘de molho’, dependendo do nível de intoxicação a que se submeteu.

Misturar bebidas alcoólicas (vinho, cerveja, uísque), comidas gordurosas (geralmente, frituras) e doces, formam um verdadeiro ‘coquetel molotov’ dentro do organismo, que apela para um processo depurativo quase que imediato. Quando isso não ocorre, o acúmulo de elementos tóxicos e nocivos acaba gerando processos patológicos, muitas vezes severos.

O naturopata e iridólogo Oseas Mendes ensina sempre a premissa básica do naturismo: a saúde é observada, em primeira instância, pelo funcionamento dos intestinos. Todas enfermidades, segundo essa diretriz terapêutica, são resumidas em constipação. O indivíduo, normalmente, tem por volta de 1 a 2 quilos de fezes sem eliminar, que envenenam continuamente sua corrente sangüínea e todo o seu sistema orgânico.

Mas, quem pensa que coloca para dentro do seu organismo toxinas alimentares apenas nas ocasiões festivas, está tentando desviar sua consciência de sua prática diária. Porque, na verdade, a comida ‘lixo’, como denomina Oseas Mendes, é aquela ingerida todo o dia e a partir da mais tenra infância.

Quantas mães não colocam refrigerantes na mamadeira de seus bebês? Quantas não oferecem aos pequenos alimentos em conserva, enlatados, embutidos, enfim, uma extensa lista de produtos não recomendáveis para adultos, quanto mais para crianças!

Alguns pais chegam ao cúmulo de obrigar os filhos a manter sua própria dieta, altamente calórica porque repleta de produtos à base de açúcar e gordura, mas também pobre em fibras e nutrientes necesários ao bom desempenho orgânico.

ALIENAÇÃO - Oseas Mendes afirma que o ser humano se alienou tanto de si próprio, e isso acabou o levando ao desconhecimento de suas próprias necessidades íntimas, sem contar as biológicas. Esse alheamento de si, conduz muita gente ao desejo de satisfação de falsas necessidades, criadas por uma cultura voltada para a mercantilização e do lucro, acima até do bem-estar. O resultado é um enorme prejuízo à sua saúde, devido à conduta de uma vida artificial.

O que mais observa, entre as pessoas que o procuram, são seres frustrados, doentes e infelizes, por se manterem sob essas condições existenciais. ‘‘Para se ter uma alimentação saudável, com produtos mais nutritivos e integrais, realmente acaba se gastando um pouco mais. No entanto, como esta é a base de nossa saúde, a longo prazo, estamos na verdade fazendo um investimento bem lucrativo para nós e nossos familiares.’’

FIBRAS - Só no processo de refinamento de alguns produtos básicos, como o trigo, há uma perda enorme de nutrientes. O pão branco, exemplifica Oseas, com a retirada das fibras, perde também 22 nutrientes, inclusive as vitaminas do complexo B. Alguns panificadores procuram enriquecer a farinha refinada, inserindo 3 ou 4 nutrientes, ficando ainda um déficit de 18. ‘‘Há estudiosos que afirmam que ao invés de morrer de inanição (de fome) o homem morrerá mesmo pelos desajustes provocados pela própria cultura.’’

Os prognósticos são bem pessimistas, diante da conduta alimentar que o homem contemporâneo tem seguido, indicando o perfil biológico de um ser de baixa estatura, careca, sem dentes e barrigudo. Os médicos Márcio Bomtempo e Daniel Boarim são tão severos quando falam da alimentação moderna, que chegam a chamá-la de ‘‘comida assassina’’.

0 Comentarios:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...