16 de ago de 2010

Instruções básicas do estilo de vida CRUdívoro

Encontramos sempre dicas de como se tornar um crudivoro (ou crudicista) nesse mundo artificial em que vivemos, onde a maioria dos alimentos que ingerimos é desvitalizada.

Os tópicos abaixo fazem, também, parte dessa grande - e simples - lista das mudanças diárias que devemos fazer para que o corpo se beneficie com o que a natureza tem a oferecer - em seu estado natural, assim como balancear o que é mais benéfico do que não é tão benéfico em termos de porcentagens diárias (mesmo sendo cru-vivo) - estaremos apontando isso em breve.

De qualquer forma, fica uma outra dica - dê passo a passo.  Não mais enxergo que TEMOS que ser 100% crudicistas para nos beneficiar com esses alimentos in natura.  Em nossos caminhos existem pedras, buracos, momentos, outras pessoas - com culturas, tradições, opiniões, e formas diferentes de expressar o amor, logo, não se torne um prisioneiro da alimentação - crua viva - por mais benéfica, mais antenada, mais alinhada, mais energéticamente vibracional e rica em nutrientes, ela esteja.  Faça dela um ato de consciência no seu dia a dia, de agradecimento, de conexão com a natureza - interna e externa.  Mas não deixe de viver, de amar, de gargalhar, de tentar compreender o próximo apenas por ter escolhido esse caminho - e saiba sair dele quando for necessário.


Novamente falo e repito, somos muito mais do que aquilo que ingerimos - e mais do que ingerimos, somos aquilo que ASSIMILAMOS - e COMO assimilamos - no mundo dos diversos alimentos que nos cercam - alimentos, pensamentos, sentimentos, movimentos.

Encontre um equilíbrio, aumente a quantidade de alimentos crus - vibracionalmente vivos, e divirta-se!

Boa jornada! Boa reconexão!

Um brinde a vida!

Ursula Jahara**
...

Conheça seis instruções básicas do estilo de vida crudicista, extraídas do livro Nature’s First Law: The Raw-Food Diet (A Primeira Lei da Natureza: A Dieta de Comida Crua), do americano Steven Arlin e David Wolfe.

1. “Todo bom crudicista seleciona três tipos de comida: verduras, como agrião, alface e rúcula; frutas doces, que incluem melões, abacaxis e laranjas; e frutas oleosas, entre as quais estão abacate, castanhas e azeitonas secas. Pense nesse trio como as três pontas de um triângulo cujo centro é um ponto de equilíbrio que cada um precisa encontrar. Eu como 60% de frutas doces, 30% de verduras e 10% de frutas oleosas.”

2. “Quanto mais sedentário você for, mais verduras você deve comer. Quanto mais ativo, mais frutas doces deve ter no cardápio. E não diversifique muito as suas escolhas. Na natureza, você não vai encontrar uma laranjeira ao lado de uma parreira.”

3. “Evite ao máximo as plantas híbridas – elas geralmente são criadas em tubos de ensaio e, se fossem largadas na natureza, seriam destruídas por bactérias, vermes ou pássaros. Não são tão nutritivas quanto as selvagens.”

4. “Guardar comida na geladeira é tão artificial quanto levá-la ao fogo. Evite fazer isso. A melhor maneira de escolher um alimento é colocá-lo na mão e perguntar: ‘É assim que ele existe na natureza?’ Se for, é um bom alimento.”

5. “Uma boa maneira de iniciar-se no crudicismo é começar comendo plantas cruas um único dia. Depois, tente por uma semana inteira; a seguir, por um mês; e assim por diante.”

6. “É um mito comum que só a comida fornece energia. Errado. O corpo também precisa de amor, sol e ar. A melhor fonte de energia é, de fato, o ar. Inspirar profundamente diminui a necessidade que o corpo tem de comida. Sabe-se de pessoas que vivem no alto das montanhas e subsistem meses a fio exclusivamente de ar e de um pouco de neve.”

*Você não se transforma em um crudicista. Comer plantas cruas é uma vocação que todos os seres da Terra têm. Fomos feitos para comer comida crua, não cozida. Não é possível melhorar os alimentos que estão em estado natural. Muito menos por meio do fogo.

...

Um comentário:

  1. Anônimo15:39

    Ola, muito bom seu comentário!!!
    Compartilho da idéia de que nem sempre é possível se manter "cru".Os alimentos in natura devem ser nosso "arroz com feijão" rsrsrsrs..... mas as recaídas devem ser levadas numa boa, atépq as vezes uma refeição nos é preparada com tanto amor que recusá-la seria pior que se manter no crudivorismo.
    Obrigado pelas informações,
    Gui Lage

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...